uniao-europeia-da-saude
30 de Abril, 2021

Manuel Pizarro: “A esmagadora maioria das pessoas quer ver concretizada uma verdadeira União Europeia da saúde”

O eurodeputado socialista lamenta a visão “retrógrada de alguns líderes europeus” que tem dificultado a consolidação deste conceito.

manuel-pizarro
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Em julho, um inquérito promovido pelo Parlamento Europeu sobre a perceção da capacidade de resposta à pandemia nos 27 Estados-membros mostrou que dois terços dos europeus desejavam que a União Europeia (UE) tivesse mais competências para responder a crises sanitárias como a que vivemos. Apesar do domínio da saúde ser responsabilidade de cada país, são cada vez mais as vozes que pedem uma maior colaboração comunitária nesta área. O eurodeputado do PS, Manuel Pizarro, é uma dessas vozes.

IHILIQUAE SUS ATEM AUT ACID QUE CUPTA SUNT PA ILITE EVERE, CONSEQUASIT ES ILLIS SUM ACIENDITATE SI DOLUPTA SED QUAM.

Eveles doloruptatem venienimpel id quis acesti rescimusam voluptatur sincium quis quo tectotatias et que maionempora denis repudandam faciis doluptat offic tota ipsum, acepele nimaion estium ditium estibus. Est, sincit, ne conessini bla cuptat

“O impacto da covid-19 consolidou nos cidadãos a vontade de reforço das políticas de saúde à escala da UE. Isso é claramente demonstrado nos estudos de opinião mais recentes que evidenciam que a esmagadora maioria das pessoas quer ver concretizada uma verdadeira União Europeia da saúde”, explica ao Expresso.

et moluptatur? Et aut ium fuga. Vidissin repedipsape exero doluptatium autem. Tes ad qui atibeatem il evellitem. Ulpa dolupta spedit eos im ium dera quias.

IHILIQUAE SUS ATEM AUT ACID QUE CUPTA SUNT PA ILITE EVERE, CONSEQUASIT ES ILLIS SUM ACIENDITATE SI DOLUPTA SED QUAM.

A experiência vivida em período pandémico deixou a descoberto as fragilidades europeias no campo da ciência e da saúde, mas evidenciou também a capacidade de união entre nações, por exemplo, no processo de aquisição de vacinas. Ainda assim, Pizarro denuncia a “visão retrógrada de alguns líderes europeus” que tem impedido a criação de um espaço comum na saúde. “Não tem sido possível manter uma atitude uniforme na Europa em relação às indicações ou contraindicações de uma ou outra vacina, o que contribui para gerar insegurança nas pessoas”, lamenta

Artigo publicado no Expresso a 30 de abril de 2021. Para ler o artigo na íntegra, clique aqui.

IHILIQUAE SUS ATEM AUT ACID QUE CUPTA SUNT PA ILITE EVERE, CONSEQUASIT ES ILLIS SUM ACIENDITATE SI DOLUPTA SED QUAM.

manuel-pizarro
Reproduzir vídeo