pobreza-energetica-uniao-europeia
3 de Fevereiro, 2020

Manuel Pizarro questiona a Comissão sobre pobreza energética na União Europeia

Eurodeputado socialista quer saber que apoios estão a ser considerados para auxiliar as famílias incapazes de garantir aquecimento das habitações.

manuel-pizarro
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Manuel Pizarro quer saber que medidas vai tomar a Comissão Europeia para apoiar as famílias europeias incapazes de garantir o aquecimento das suas casas.

De acordo com os dados mais recentes do Eurostat, cerca de um em cada dez cidadãos da União Europeia (UE) não tem capacidade para aquecer adequadamente a sua casa. Os números são especialmente preocupantes no caso português, onde 19,4% da população declara não conseguir fazer face aos custos do aquecimento das suas habitações, problema que afeta particularmente os idosos que vivem sozinhos e em risco de pobreza.

IHILIQUAE SUS ATEM AUT ACID QUE CUPTA SUNT PA ILITE EVERE, CONSEQUASIT ES ILLIS SUM ACIENDITATE SI DOLUPTA SED QUAM.

Eveles doloruptatem venienimpel id quis acesti rescimusam voluptatur sincium quis quo tectotatias et que maionempora denis repudandam faciis doluptat offic tota ipsum, acepele nimaion estium ditium estibus. Est, sincit, ne conessini bla cuptat

“Esta situação deve-se a fatores socioeconómicos, mas também a debilidades estruturais das habitações. O tema está por isso intimamente relacionado com a eficiência energética do edificado e, por essa via, com a perspetiva da sua descarbonização”, salienta Manuel Pizarro.

IHILIQUAE SUS ATEM AUT ACID QUE CUPTA SUNT PA ILITE EVERE, CONSEQUASIT ES ILLIS SUM ACIENDITATE SI DOLUPTA SED QUAM.

Na questão enviada à Comissão Europeia, o parlamentar socialista recorda que a nova Comissão Europeia se comprometeu com a implementação transversal dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e do Pilar Europeu dos Direitos Sociais, com o combate à pobreza, incluindo a pobreza energética, e com ambiciosos objetivos de descarbonização bem vincados na meta da neutralidade carbónica em 2050. O socialista alerta, no entanto, que esta meta é pouco realista se estiver desligada da descarbonização do parque habitacional da UE.

IHILIQUAE SUS ATEM AUT ACID QUE CUPTA SUNT PA ILITE EVERE, CONSEQUASIT ES ILLIS SUM ACIENDITATE SI DOLUPTA SED QUAM.

manuel-pizarro
Reproduzir vídeo

Eveles doloruptatem venienimpel id quis acesti rescimusam voluptatur sincium quis quo tectotatias et que maionempora denis repudandam faciis doluptat offic tota ipsum, acepele nimaion estium ditium estibus. Est, sincit, ne conessini bla cuptat.